©2019 por O Prognóstico. Orgulhosamente criado com Wix.com

  • Facebook
  • Twitter
Buscar
  • gasparmacedo123

Carta aberta a uma mentirosa.

Carta aberta a uma mentirosa.

Cara jornalista. Nos últimos dias tem sido enxovalhada e acusada de “mentirosa” por vários governantes, incluindo João Galamba. Antes mesmo das campanhas para as eleições legislativas começarem o seu programa na RTP foi suspenso durante um mês sem justificação e foram poucos aqueles que criticaram a decisão.

Voltou agora com uma polémica investigação que fez a uma concessão milionária de lítio pelo Estado a uma empresa criada apenas três dias antes da formalização do acordo, onde descobriu uma rede de ligações e favorecimento entre secretários de Estado, ministros e o consultor financeiro da empresa, Jorge Costa Oliveira, um ex-secretário de Estado exonerado do cargo publico e depois investigado no caso das viagens pagas a governantes pela Galp.

Escrevo-lhe esta carta porque me recuso a fechar os olhos ao abuso de poder e falta de impunidade de muitos governantes. Em 2017 disse numa entrevista que “gostava que as pessoas olhassem para mim por aquilo que sou”. Por muitos que sejam aqueles que a acusam de ser “mentirosa”, “caluniadora” e “repugnante”, pode ter a certeza que eu sei bem quem a senhora é.

É a jornalista que teve a coragem de investigar a fortuna bilionária de Joe Berardo, um empresário que com ligações a grandes políticos e banqueiros, que fez fortuna aproveitando-se da Caixa Geral de Depósitos, e que criou uma fundação apenas para proteger o património avaliado em 1.1 mil milhões de euros.

É a heroína numa luta contra as máfias modernas, como Lobby da Energia que afastou dirigentes e fiscalizadores que se preparavam para fazer cortes de milhões nas rendas absurdas que o Estado paga à EDP, ou a Industria do Fogo que se alimentava dos negócios proibidos entre comandantes de bombeiros e empresas de venda de material para combate aos incêndios.

É a mulher que mostrou as caras responsáveis pelo encobrimento do roubo de armas em Tancos. A mulher que não teve medo de acusar ministros, militares e próximos do presidente do republica. A mulher que ajudou a levantar a cortina ao regime de abuso de subsídios e ajudas de custos por parte de deputados e governantes. A mulher que embora todos os processos e obstáculos continua a defender que “nenhum servidor publico está acima da lei”.

É uma jornalista que, juntamente com outros como Ana Leal ou Manuela Moura Guedes, são a prova viva da repulsa que os poderes instalados têm para com aqueles que todos os dias trabalham para alimentar os vícios do regime. Contra os poderosos que te acusam de “mentirosa” e a outros de “populistas”, apenas porque estamos simplesmente fartos de ver os jornalistas independentes serem afastados em nome da defesa dos covardes.

Num país onde as mentiras do dia a dia são verdades absolutas e as verdades reduzidas a mentiras, os mentirosos tornam-se nos “heróis”, nos “vencedores” ou nas “maiorias absolutas”. Aqueles que ousam ser o contrário são reduzidos aos “malucos dos jornais” ou, pior, a simples memórias de uma mudança que terminou demasiado cedo.

Obrigado Sandra Felgueiras.


Tenho dito.


675 visualizações

Partilha

  • Facebook
  • Twitter